Em defesa da comida

26/03/2012 11:05

        "Coma comida. Não em excesso. Principalmente vegetais." Segundo Michel Pollan, autor do livro “Em defesa da Comida – um manifesto”, esta é a resposta resumida à pergunta supostamente complicadíssima sobre o que os seres humanos devem comer para serem saudáveis ao máximo.

        A princípio a recomendação parece ser simplista de mais. Mas confesso que concordo e assino em baixo dessa e de todas as outras recomendações do autor. 

        O que vemos por aí, aos montes, nos supermercados são produtos industrializados com milhares de alegações nutricionais que não passam de enganação!!! De que adianta ser orgânico, light, diet, zero trans, zero gordura, baixo teor de sódio, integral, rico em fibras, vitaminas e minerais se o que existe na maioria desses produtos, de fato, é farinha refinada (sim, mesmo nos integrais); açúcar em suas mais diversas formas (açúcar, xarope de glicose, frutose, xarope de milho, maltodextrina, extrato de malte...); gordura (geralmente hidrogenada, mesmo nos que dizem ser zero trans) e inúmeros “antes” (conservante, corante, flavorizante, edulcorante, espessante, antioxidante)?

        

        E como saber escolher e não ser enganado em meio a tantas opções e informações?

        Comendo comida! Este é o principal conselho do livro, o qual aprovo e recomendo!

       

        Se ainda está difícil pra você identificar o que se enquadra em “comida”, siga as 12 recomendações do livro para uma alimentação saudável: 

        1. Não coma nada que sua avó não reconhecesse como comida.
        2. Evite comidas contendo ingredientes cujos nomes você não possa pronunciar.
        3. Não coma nada que não possa um dia apodrecer.
        4. Evite produtos alimentícios que aleguem vantagens para sua saúde.
        5. Dispense os corredores centrais dos supermercados e prefira comprar nas prateleiras periféricas.
        6. Melhor ainda: compre comida em outros lugares, como feiras livres ou mercadinhos hortifrútis.
        7. Pague mais, coma menos.
        8. Coma uma variedade maior de alimentos.
        9. Prefira produtos provenientes de animais que pastam.
        10. Cozinhe e, se puder, plante alguns itens de seu cardápio.
        11. Prepare suas refeições e coma apenas à mesa.
        12. Coma com ponderação, acompanhado, quando possível, e sempre com prazer.

        

        "Comida. Existe aos montes por aí e todos amamos comê-la. Então por que alguém precisa defendê-la? Porque a maior parte do que consumimos hoje não é comida...” (Michel Pollan).

 

 

Daniele Pagliarini

Nutricionista –CRN 10/3011

danipagliarini@yahoo.com.br

 

Gisele Pagliarini

Nutricionista – CRN 10/2484

giselepagliarini@yahoo.com.br

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!